Qual deve ser a velocidade de um HD externo?

Consulte a tabela abaixo para comparar o desempenho máximo de cada interface.

Disco externo Disco interno
USB 1.1 Até 12 Mbps UltraATA 100 Até 100 Mbps
USB 2.0 Até 480 Mbps Serial ATA 1.5 Até 1,5 Gbps
USB 3.0 Até 4,8 Gbps SATA 3.0 Até 3,0 Gbps
    SATA 6.0 Até 6,0 Gbps
1394a (Firewire 400) Até 400 Mbps    
1394b (Firewire 800) Até 800 Mbps Serial-Attached SCSI (SAS) Até 1,5, 3,0, 6,0 ou
12,0 Gbps
       
eSATA Até 1,5 ou 3,0 Gbps    
Thunderbolt Até 10 Gbps    

Observe com atenção não só os números, mas também as unidades de medida.

Esta tabela mostra o total máximo de largura de banda disponível por barramento para cada tecnologia. As taxas de transferência anunciadas são baseadas na velocidade mais rápida na qual o disco pode enviar e receber dados pelo cabo (ou barramento) a partir do buffer do disco.

A taxa de transferência será tão rápida quanto o dispositivo ou barramento mais lento
Com o avanço da tecnologia e o desenvolvimento de interfaces novas e mais rápidas, um usuário pode ter uma coleção de dispositivos de interfaces variadas, com velocidades máximas que variam amplamente. O computador moverá dados durante uma transferência o mais rápido que puder, levando em conta as habilidades de todos os dispositivos envolvidos na transferência:

  • o disco de origem
  • a interface sobre a qual os dados estão sendo movidos
  • o disco de destino

É possível que o disco de origem seja mais novo e envie dados mais rápido do que o disco de destino é capaz de gravá-los.
Exemplo: backup dos dados contidos em um disco Serial ATA 6.0 para um disco externo equipado com interface USB 2.0. A interface e o disco Serial ATA são mais rápidos do que USB 2.0, então a interface e o disco USB 2.0 são o "gargalo".

É possível que a interface e o disco de destino movam e gravem dados mais rápido do que o disco de origem é capaz de enviá-los.
Exemplo: backup de dados contidos em um disco Serial ATA 3.0 para um disco externo equipado com uma interface Thunderbolt. A interface Thunderbolt é mais rápida do que SATA 3.0, então a interface e o disco SATA 3.0 são o "gargalo".

Taxa de transferência em rajada x taxa de transferência sustentada
Muitos usuários de disco rígido confundem a "taxa de transferência em rajada" na tabela acima com o que eles vão obter no desempenho real. Isso, invariavelmente, causa frustração, quando o disco externo USB não transfere dados a 50 MBps ou o disco interno SATA a 300 MBps.
Nenhum dispositivo de armazenamento terá toda a sua largura de banda em "potencial" disponível para transferências de dados. Uma parte da largura de banda será compartilhada com outros dispositivos no barramento e uma parte será consumida por comandos e sobrecarga de protocolo de interface. Outras limitações podem incluir a taxa de transferência que é possível devido ao barramento (ou seja, USB, SATA, Thunderbolt).
Também é importante observar que o desempenho insatisfatório ou lento do disco geralmente é causado por um fator de configuração do sistema. É muito raro o desempenho insatisfatório estar relacionado diretamente ao disco. Em muitos casos, o desempenho insatisfatório percebido é geralmente atribuído aos resultados de um teste de benchmark. Os resultados de benchmark dependem muito do sistema e podem variar de acordo com o sistema. Por isso, a Seagate não pode fornecer uma única especificação de taxa de transferência sustentada para todos os discos.

Outras dicas para aumentar o desempenho

  • Tente conectar discos externos USB a diferentes portas USB no computador e faça experiências com transferências de dados em cada porta. Pode ser que algumas das portas no computador usem hardware USB mais antigo.
  • Para obter o melhor desempenho, não conecte discos externos a hubs USB, comutadores ou cabos de extensão.
  • Desfragmente a unidade de disco rígido (não deve ser feito com unidades de estado sólido).
    A partição do disco pode se fragmentar no decorrer do uso normal. Muitas vezes, executar um utilitário de desfragmentação no Windows pode aprimorar o desempenho de um disco lento, visto que os arquivos e dados espalhados são consolidados, facilitando o acesso mais rápido.
  • Execute o Seatools para Windows no disco.
  • Execute o checkdisk no disco (não deve ser feito em unidades de estado sólido).
  • Substitua o cabo USB por um cabo em boas condições de funcionamento.
  • Esvazie a lixeira, principalmente se o disco já estiver em uso há algum tempo. Os dados antigos removidos do disco deixam um rastro, que pode afetar o desempenho.
  • Muitos computadores executam inúmeros programas em segundo plano, o que ocupa recursos do sistema. Feche alguns ou vários desses programas em segundo plano.
    Consulte o Suporte da Microsoft (para 8/7/Vista) (para XP) para obter instruções sobre como desativar programas em segundo plano na inicialização do computador.
    Consulte este artigo do Suporte da Microsoft para obter instruções sobre como usar o Gerenciador de Tarefas do Windows para encerrar processos.
  • Inicialize em modo de segurança e execute uma transferência de dados para verificar se isso aumenta o desempenho.




Por favor, avalie a utilidade deste artigo.